Como cuidar do seu pet depois que ele ficou paraplégico

cachorro paraplégico

Como cuidar do seu pet depois que ele ficou paraplégico

O cachorro paraplégico também pode ter uma vida saudável e feliz. Mas para isso, ele precisará de alguns cuidados especiais. A clínica veterinária Apaixonados por Quatro Patas, a maior rede de veterinárias no Brasil, montou uma lista de dicas para ajudar você a cuidar do seu amigo que ficou paraplégico.

Fisioterapia é essencial

É muito importante o tratamento com a fisioterapia. Visto que, quando eles se arrastam ou usam a cadeira de rodas acontece uma sobrecarga dos órgãos torácicos e é necessário fazer o controle da musculatura para minimizar a dor. E com o tratamento, alguns cães podem sim voltar a andar. Mas cada caso é um caso.

Para os cachorros que precisam fazer fisioterapia passiva (que o dono precisa mexer os membros do animal) aqui estão algumas dicas: Massageie seu cão. As massagens aumentam a circulação sanguínea, ajudam a reduzir a dor e fortalecem o vínculo com o dono. Mova suavemente os membros sem forçar. Desta forma evitará que as articulações endureçam devido à imobilidade.

Sempre que possível, use arneses dianteiros, traseiros ou completos para ajudar o cão a caminhar e a manter um certo movimento ativo. Há profissionais que têm serviços em domicílio para realizar técnicas de fisioterapia. 

Em muitos casos, a hidroterapia deve ser considerada uma vez que permite aos cães se moverem sem necessidade de aguentar o seu peso. Para esta prática o uso de coletes salva-vidas é indispensável.

Cuide da alimentação e do peso

Os estados patológicos provocam um desequilíbrio nutricional. Uma boa nutrição é vital para a recuperação do animal. O veterinário deverá aconselhá-lo sobre a melhor dieta para o seu cão. 

Deve se levar em conta que, muitas vezes, há outras doenças além da paralisia que requerem uma alimentação adequada. Por exemplo, em animais mais velhos é muito frequente que haja problemas renais. Grande parte do seu tratamento baseia-se numa alimentação específica (baixa em proteínas e fósforo) e indispensável para tentar combater a doença. Também é muito importante que o veterinário combine tipos de alimentação ou adicione algum suplemento para poder incluir ambas as doenças.

Além disso, é importante ficar de olho também no peso do animal. O gasto de energia dele diminui, o que aumenta as chances de obesidade. E a obesidade para um animal paraplégico é muito prejudicial.

Higiene em primeiro lugar

Deve-se manter a pele do animal fora de contato com fezes e/ou urina. Você pode lavar ele com soro fisiológico ou toalhas especiais para cães.

Existem fraldas especialmente desenhadas para cães que além de absorver, ajudam a urina e as fezes a não irritarem a pele, evitando problemas indesejáveis de sujeira no chão e tapetes. É muito importante verificar e mudar a fralda com frequência.

É importante também ter especial cuidado quando o cão está em ambientes ao ar livre. Existe a possibilidade das moscas depositarem os seus ovos nas partes sujas da pele do pet. Sempre que o animal sair, você deve tirar a fralda para que a pele dele possa respirar e a umidade não provocar úlceras. 

Se forem necessários banhos frequentes, o recomendado é usar xampus especialmente formulados para cães alérgicos, já que estes não destroem a barreira lipídica protetora e podem ser usados até várias vezes por semana. 

Muitos cães com paralisia têm problemas para urinar. Alguns são incapazes de conter a urina e esta vai saindo gota a gota, outros são incapazes de esvaziar a bexiga sem que haja ajuda. Manter uma boa higiene da micção ajudará a impedir as infecções de urina frequentes nestes casos. É também importante ter atenção e tentar detectar mudanças no odor e/ou cor da urina, algo que pode indicar a existência de algum problema.

Não deixe seu cão se arrastar

Deixar o animal se arrastar é a forma mais comum para o aparecimento das feridas na pele. E essas feridas são as mais difíceis de tratar, já que elas ficam na parte onde o cão está sempre se apoiando. Por isso, é importante evitar que apareçam.

Existem bolsas protetoras para evitar o contacto do animal com o chão.

Cadeiras de rodas

Se o pet tem força nos membros anteriores, o uso de uma cadeira de rodas canina pode ser muito vantajoso para o animal: evita em grande medida as úlceras de pressão, fortalece o corpo do animal ajudando a ganhar massa muscular e sobretudo, ajuda o seu bem-estar mental, proporcionando a autonomia tão própria dos cães.

É necessário consultar o veterinário sobre a possibilidade e adequação da cadeira de rodas.

Passeios ainda são a melhor parte do dia

Sempre que possível, façam passeios ao ar livre juntos, seja com a ajuda de arneses especiais, cadeiras de rodas, mochilas ou carrinhos. Os cães são seres olfativos. Precisam  cheirar ambientes diferentes e outros animais para ter uma boa saúde mental. Não deixe que a paralisia seja uma desculpa para privá-los disso.

Os veterinários da Apaixonados por Quatro Patas, estão à disposição para os donos de animais que queiram um tratamento afetuoso e profissional. Acesse o site.